"Artistas de Itararé, Cidade Poema"

"Artistas de Itararé, Cidade Poema"
Capital Artístico-Cultural Boêmica do Sul de São paulo

BLOGUE ARTISTAS DE ITARARÉ CHÃO DE ESTRELAS

"Artistas de Itararé, Chão de Estrelas"

Contatos: artistasdeitarare@bol.com.br

Clã dos Fanáticos Por Itararé, Cidade Poema

Palco Iluminado de Andorinhas Sem Breque

Os Dez Maiores Artistas de Itararé, Ano 2011

Dez Maiores Artistas de Itararé















01)-Maestro Gaya







02)-Jorge Chuéri







03)-Irmãs Pagãs







04)-Paulo Rolim







05)-Silas Correa Leite







06)-Paschoal Melillo







07)-Rogéria Holtz







08)-Dorothy Janson Moretti







09)-Regina Tatit







10)-Armando Merege







Itararé, Bonita Pela Própria Natureza

Itararé, Bonita Pela Própria Natureza
Nosso Amor já Tem Cem Anos

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

CANTEIROS - Currículo Metapoético de Aprendiz de Plantador de Cenários Íntimos, Silas Correa Leite


CANTEIROS

 

Currículo Metapoético de Aprendiz de Plantador de Cenários Íntimos

 

Entre livros nasci. Entre livros me criei.

Entre livros me formei. Entre livros me tornei.

Enquanto lia o livro, lia-me, a mim, o livro.

Hoje não há como separar: O livro sou eu.

(Inajá Martins de Almeida)

 

 

-Fui engraxate em praça pública, meu primeiro trampo, família humilde, precisando ajudar em casa

Desse época só trago e tenho

As mãos com nódoas de tintas de tanto envernizar e lustrar sandálias de andorinhas peregrinas

-Fui boia-fria nos campos verdes de minha terra-mãe, Itararé

Dessa época de rudeza precoce só tenho

As mãos calejadas de grãos e raízes, árvores e arames, e rios e nuvens

-Fui vendedor de dolé de groselha preta

Hoje só trago e tenho dessa época de pobrinho lutador

As bijutelíricas da infância, que, afinal, foram, o meu maior tesouro

-Fui vendedor de banana-caturra

Dessa época de tristice e labuta trago e tenho e sou

As pencas de lágrimas de meu coração vermelho

-Fui vendedor de pipoca

Hoje só trago e tenho e crio desde então

Os piruás de tantas sofrências da vida de buscas e aprendizados

-Fui vendedor de caldo de cana

Hoje só trago e tenho e soo

O açúcar cristal de minha alma de tangerina

Soando numa taquara rachada com vestígios de ausências...

-Fui locutor de radio aprovado em concurso

(E era um adolescente que amava os Beatles e Tonico e Tinoco)

Dessa época de principio de aprendizado artístico só trago e tenho e verto

As palavras cênicas de sonora angústia-vívere que aprendi nos palcos mambembes e em coxias sem spot-lights

Fui cantor meia boca, calouro em shows da Jovem Guarda

Dessa época só trago e tenho,

memórias de botinhas sem meia, cabelos na testa, imitações de Roberto Carlos, o Rei

E as canções que a juventude fez pra mim, sentado a beira do caminho

(E as flores do jardim de nossa casa)

-Fui cronista colunista do Jornal o Guarani de Itararé

Feito um eterno aprendiz da alma humana

Dessa época só trago e tenho e sou

Os tipos, as boas impressões, os personagens de vidas, sofrências e injustiças

E o tabuleiro das palavras, versos, mixórdias de alucilâminas e chuvas de vírgulas e verbos

-Fui aprendiz e auxiliar e assistente e depois chefe de departamento pessoal de empresa

Dessa época só trago além do cargo, as admissões e rescisões de contratos, e as buscas por justiça

A alma humana se relacionando - dentro da ótica capital-trabalho (e ainda a mais-valia) - com outra alma humana...

-Depois fui chefe de contencioso de área jurídica em empresa de advocacia

De onde aprendi que a justiça é cega, tarda e falha, não me representava

E que só é válida mesmo para quem tem calcanhares descalços

E foi feita para proteger a elite de pústulas para continuar com lucros impunes, com riquezas injustas, propriedades roubos,

e a impunidade social da classe dominante

Então não tinha nada a ver comigo, não me servia

Pois sei de que origem sou e trago e tenho...

E sei de panelas vazias, e luto contra as misérias estabelecidas

-Fui finalmente reger aulas e me encontrei como ser e como humano,

como profissional, como cidadão com fito ético-plural comunitário

Crianças, jovens - sequelas de injustiças sociais e impunidades históricas

E assim me fui plantador de sonhos, semeador de esperanças, tiofessor, pai postiço, referencial

E ator, cantor, pintor, lustrador - dentro de aulas vivas

Entre baladas, historias em quadrinhos e o palco iluminado de semeaduras didáticas diferenciadas

Que acabei adorando ser maestro-docente e professor com poemas e letras de músicas e bagagens de escrevivências letrais de percurso evolutivo

Que me fui feliz, a partir de tudo que aprendi no currículo da pratica vivenciada de uma estrada de tijolos amarelos

-Hoje, depois de décadas, e de tanto dar aulas, fiquei doente, fui corrompido pela máquina da sobrevivência possível até o estertor

Fui largado num silo-hangar de uma sala de leitura de uma escola pública de comunidade carente, afastado... professor...

-E readaptado como docente e pelo sistema. E aleijado pela docência acumulada; e desvalorizado em Sampa, Samparaguai, o neoliberal estado-máfia, por fim

Estou lotado numa biblioteca de uma escola, e assim

Depois de tantas lutas, cursos, diplomas, livros, currículo de vida e luta e amor...

Entre chuvas, lágrimas, ou suor, força, luta, obra e fé

De sonhos e esperanças ainda um plantador

Feito finalmente um Gepeto, um Peter Pan, um Robinson Crusoé

Longe da minha Terra do Nunca, Pasárgada, Shangri-lá, Itararé

Resto-me ainda poeta, escritor

Numa biblioteca. E entre livros, como minha vida feito um romance, finalmente estou preso em mim.

-0- Silas Corrêa Leite, Professor, Jornalista Comunitário, diplomado Conselheiro em Direitos Humanos, Blogueiro e escritor premiado membro da UBE-União Brasileira de Escritores.


 

 

 

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

DETOX CULTURAL - CUIDE BEM DE SEU PENSAR COM LIVROTEPARIA


Artigo, Microensaio, Opinião:

 

 

Detox Cultural – Cuide Bem de Seu Pensar

 

(Quem Usa Detox de Cultura, Seu Lado do Bem Eletrifica e Depura)

 

 

 

“O que amarei, se não for o enigma?

Giorgio De Chirico

 

 

 

Benefícios da dieta Detox Cultural, para ajudar o organismo como um todo – cabeça, tronco e membros (ou, mente, corpo e coração) - na tarefa de eliminar as tantas toxinas da ignorância e estupidez que necrosam sua sensibilidade, visão e estimativa lúcida de vida e de luz, pois é preciso ingerir ‘alimentos’ literoculturais corretos, e abrir mão daqueles que prejudicam ainda mais o processo de evolução e sabedoria de vida. O Detox Cultural evita a entrada de lixo consumista de ocasião, toxinas de burrezas pegajentas, e estimula a funcionabilidade aumentada do cérebro com livros e leituras, pensações e sentições, sabedorias, conhecimentos, prismas e conteúdos.

Primeiro, bolamos uma bula, laudo ou pericia, coisa assim: desligue a TV. Ana Maria Braga? Nem pensar, toxina televisiva de baixo calibre e a ignorância saindo pela culatra. Das grossas e das rudes. Onde já se viu isso? Só em salas de espera de dentistas, médicos, laboratórios, saunas corrompidas e lares de despossuídos de alguma coisa. E em casas de cabeças de bagres. Faustão, Jornal Nacional; novela então, nem pensar, não à banalização do cérebro brasileiro. Desligue tudo. Ligue um livro. Sare-se. Ouça musica instrumental. Crie. Ame. Sinta a natureza evoluindo e vc aí se intoxicando de lixo televisivo. Leia uma vida-livro. Faça um curso, um concurso. Caia na real. Saia viajar, passear. Aprenda dialogando com os que pensam totalmente diferente de vc, fora da caixinha, fora do quadrado, essa é a evolução da espécie. Chega de achismos, mesmices, fora isso, fora aquilo, se não vai ser um tal de “fora cérebro”. Saia de si. Fuja do seu meio redondamente enganado. Não deixe que sua mente seja um cérebro de penico, plim plim.

Segundo, entre o facebook e o blog, entre o site e o twitter ou mesmo outra chamada rede social, há uma vida exuberante, um mundo portentoso, fatie um mamão, um melão, leia um livro, tome um suco de couve com hortelã e abacaxi, pedale uma bicicleta, vá curtir um show em praça publica, visitar um museu, fazer ficha numa biblioteca, fazer pós-graduação, aprender francês. Faça de sua cabeça um liquidificador de ideias, não fique em casa enjaulado nesse pica-couve de consumismo rastaquera e tantã, dose dupla tevê-internet, vá ser feliz que evoluir é ler sempre, estudar sempre, e não compartilhar boi de piranha em um mundo virtual customizado de asnoias e asnonautas. Nem fique publicando foto de vc no banheiro, no cabeleireiro, no churrasco, feito um panaca de selfie-se quem puder. Não seja brega de postar tudo o tempo todo, feito uma perua sem afeto e carente, ou um alienado mané se achando. Faça poemas. Escreva um livro e livre-se de si. Atrás de um grande talento, tem uma preguiça danada compartilhando abobrices. Já pensou de que lado da força vc está?

Terceiro, procure saber quais são os cem melhores livros escritos no Brasil, e leia-os todos. Depois os cem ou mil melhores livros do mundo de todos os tempos, e leia-os todos, comente com amigos, faça rodas de fuxico com papos sobre artes, livros, cinema transcendental, etc. Ou vc vai ser mais uma periguete na manada, tipo aquela pessoa que ficando velha, não se aceitando assim, para parecer que é o que não é (mais nova) põe aparelhos nos dentes, faz tatuagens até na periquita, vira loira (oxige-Nada) de uma hora pra outra, e, carente, sem amor total e alguma dignidade de transparência de vida pura e impa, começa postar foto de tudo que faz na web, feito uma mórbida carência-remorso, uma mentira-vida infrutífera, uma ferrada que foi usada e agora quer aparecer sem conteúdo, replicando na web toda besteira que acha que é verdade, ou reverberando numa pg da net aquilo que é bobo, jeca e tantã. Pule fora. Frequente-se melhor.

Quarto, DETOX Cultural é luxo de arte, nobreza de cultura, principado de estudo, filosofia de vida – humanismo ético-plural comunitário – leitura voraz, a terapia do livro, livroterapia, não seja uma coxinha mal e mal classe media démodé que acha que é chique, que vai querer ser bonita de ocasião pra engabelar incauto, que acha que ainda é mocinha quando é balzaquiana, e na solidão dessas infovias efêmeras não sabe o que fazer, e fica repetindo papagaiadas de periguetes e matronas mal amadas, feito uma balzaquiana na menopausa... Ser feliz faz bem pra saúde, pra pose. O que vc faz para ser feliz? Quem fuxica, seu ego implica. Vá ser alguém na vida. Quem espera faz a hora, não espera acontecer. Quer que eu desenhe em mil tons de cinza-estrume pra vc cair na real e deixar de ser uma banana com godê? Vá vendo. Vá lendo. E vá sendo...

Quinto, no dia a dia, rotina cotidiana entre a internet, o rádio e a TV, e o supermercado e a rave, somos tocados de mirabolantes inverdades, pataquadas de políticos posando de santos, e falta água, falta luz, falta tutano, temos que estar logados e ligados, e não é a internet ou um curso de mobral ou madureza sequer, vc deve e precisa voltar a estudar sério-brincando, fazer um curso melhor, não de faculdade de beira de estrada, pesquisar antes de compartilhar bobices, quando mais leituras de livros melhor, cultura de condomínio fechado é lixo só, radical de condomínio, anarquista chapada, baixaria de meio, lendo e estudando vc vai ficar afinado e antenado, quantos mais cursos mais vai preencher seu cérebro de coisas sábias, porque de ignorante político e criticocozinho de ocasião esse pais tá cheio, e, política, mulher e futebol de discute sim, mas com conhecimento historial, pesquisas, busca de  comparações, verdades limpas e saradinhas, porque de critico daslu de ocasião e dono da verdade pela metade o inferno tá cheio e o Brasil respinga lama desses antros, meios e estrumes, e Samparaguai, o estado-máfia tá viciado do impune crime organizado no poder, todos eleitos por vc no local do crime. Caia em si e saia fora de si. Use o cérebro, enquanto ele funciona... Não seja uma mula sem cabeça... se achando... Periga ver.

Sexto, a arte como libertação. Faça arte. Pinte, borde, desenhe, cante, dance, faça artesanato, escreva um livro, você pode, nós podemos, faça caminhada, pedale livros, viaje livros, coma e beba livros, tome porres homéricos deles, esse é o melhor Detox. Faça um canteiro, adote uma árvore, uma criança pobre carente, um cão abandonado, um gato sem pedigree, um peixe, um idoso precisado, uma biblioteca, uma coleção de gibis, de clássicos, de livraços. Seja voluntária. Obesa Cult, já pensou? A caridade é o melhor energético. Amar e ser amado, faz bem pro espírito. Não atrofie. Imagine gorda mórbida e ignorante? Bonitinha mas tapada? Nem pensar. Fora isso, fora aquilo, não. Dentro arte, dentro cultura, eterno aprendizado, busca de conhecimento, sabedoria, filosofia, não seja contra nada só por ser de seguir a manada, seja a favor de um humanismo de resultados, limpe a aura, o halo, a alma quer ‘almar’, o coração quer se enlivrar, a mente quer arejar, e vc fica aí de tocaia na sua solidão acompanhada, embusteira, encucando neuras e sublimações, pagando mico, procurando problemas pra se coçar, a demência chegando, esquecendo coisas, imaginando impurezas, troçando errado, brigando com quem ama vc, pq quem não estuda não muda, quem para de estudar atravanca, quem não lê não se vê, não gosta de ler é ignorante funcional, quem não trabalha, sem a terapia do trampo, acaba viciada em becos sem saídas, respostas sem perguntas, depois vem a baixa autoestima, a depressão, e não há quem suporte vc por perto, vá ser chata assim nas pirâmides do Egito.

Sétimo, passe sua vida a limpo. Do céu viemos ao céu voltaremos, ou do selfie viemos e é mesmo cada um por si, sebo nas canelas, salve-se quem puder e Deus por todos? Mãe, família, meio, evolução. Seu amor é verdadeiramente seu amor, ou vc entrou numa fria de papel passado feito um azedume como sequelas e neuras, e a idade chegando, pegando, surtando? Vc fez escolhas certas, ou há lonjuras e distanciamentos na sua relação barrinha-de-cereal, de enfeite, e vc sendo comida e gaseificada quase de grátis, bananeira que já deu goiaba, pq há mal que sempre dura, e quem vê bondade de ocasião e interesse não vê o que há por trás do acomodamento de juntas. Pense, reflita, vc foi usada e se acha feliz pra sociedade, família e filhos? Supere isso. Passe sua relação a limpo, saia do limbo, nem pensar. O buraco é mais encaixe. E quando o circo pegar fogo, vc vai ser a Judas ou a Cinderela rodando as tamancas, pisando na bola, fazendo parte do seu embuste particular e sem eira nem beira? Que amanhã espera por vc? E quando descobrirem tudo, de que lado do espelho vc está, que apito vc toca, que aberração vc reverbera, ou Alice não mora mais aí em vc, com seu espelho quebrado, seu sapo chulé posando de príncipe, sua rota de fuga cheia de lacunas, lágrimas e pragmatismos? Sacou ou quer que eu bata no liquidificador de ideias? Só os imbecis são felizes? Quem não tem inimigo é bobo. Enriquecimento ilícito é crime, chorar escondido é pecado. Chore em público. Depile-se fique nua e chore aos borbotões e borboletas em público. Há males que vem pra bem. Amar se aprende levando um pé na bunda. Ou vc escolhe: ser o pé ou bunda. Das duas, mão única.

Oitavo, vc merece mais do que vc tem, vc merece mais do que vc é, vc está aí feito um Buda arreganhando os dentes e “sentado no trono do apartamento, com aquela velha opinião formada” sobre tudos e nadas, adquirindo toxinas de mesmices, achismos, coxinhices, purgantices? Caia fora. Leia um livro, assine uma revista super interessante de ciência e saúde, faça as malas e vá se embora mundão afora, faça outro curso, faça um mestrado, doutorado, erga-se do chão, não seja um analfa e reaça ômega, levante âncoras, solte as amarras, limpe as gavetas, financie um barco, uma chácara, uma casa na praia, não viva as custas de ninguém, dos outros, pague o pato, pague honestamente suas dividas, e seus preços, honre seu pai e sua mãe, não seja corrupto, nem dê carteiradas, tudo o que vem fácil é sujo, vc merece as posses que vc tem, sua firma é fantasma, para engabelar bens, ou tudo está mal explicado, mal adquirido, vc glosa o imposto de renda, tem bens que não merece ter, a toxina da falsa classe média new rich faz de vc, um mero mané asnoia e ‘ovelho negro’ em amealha mento errado, improbo, o seu meio justifica pra vc mas não justifica que vc coloque pão pintado em casa, sem que saibam realmente qual é a origem, porque vc gasta o triplo do que ganha, e tem bens que na sua categoria e meio não se justificam, se tudo passado em pratos limpos vc dança, envergonha sua família, sua cidade, seus amigos, vai preso, perde tudo, pq tb é um amigo de alheio em seara nefasta. Vc ainda está ai, ou sumiu do mapa, deu com os burros do ego em nada? Parece que vc precisa tb de um Detox de ética e de justiça limpa... qual é a sua cota, a sua cara, a sua limpeza íntima, o seu preço?

Nono mandamento, repense os DEZ, faça promessa, jejue, e nutra-se em si, de si, que normas e regras cabem?:  AMARÁS O SENHOR, TEU DEUS, DE TODO O TEU CORAÇÃO, DE TODA A TUA ALMA E DE TODO O ENTENDIMENTO: 1.   NÃO ADORE OUTROS DEUSES; ADORE SOMENTE A MIM// 2.  NÃO PRONUNCIARÁS O NOME DO SENHOR, TEU DEUS, EM VÃO// 3.  LEMBRA-TE DO DIA DO SÁBADO PARA SANTIFICÁ-LO// 4.  HONRA TEU PAI E TUA MÃE// 5.  NÃO MATARÁS// 6.  NÃO COMETERÁS ADULTÉRIO// 7.  NÃO ROUBARÁS// 8.  NÃO LEVANTARÁS FALSO TESTEMUNHO CONTRA TEU PRÓXIMO// 9.  NÃO DESEJAR A MULHER DO PRÓXIMO//// 10. NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS... Qual é o seu caso, o seu deslize, a sua impropriedade? Já pensou ou quer prorrogação, assentamento de ideias, purgações, feridas expostas, mágoas passadas, ressentimentos intrusos revisitados? Detox Cristão dói pra quem é pego com a mão na botija, os pés na lama, remorso disfarçado, consciência pervertida. Riqueza impune, riqueza injusta, já ouviu falar? Está escrito. Qual a sua fala, a sua desculpa, o seu álibi, o seu butim, a sua laia?

Décimo quesito, curto e grosso, ler, não salva vc, mas salga. Lembra-se da mulher de Ló? Escrever não livra seu remorso, nem disfarça bem seu betume, nem limpa limbos e sandices mal feitos e orquestrações espúrias. Santo de uma dia para o outro? Critico de uma hora pra outra? Dono verdade para quem, pra quê? Montar uma igreja depois de uma trilha mal vista, mal revista, disfarçada, mal explicada, um roteiro que envergonha, coloca vc muito mal na fita? Quem mais quer, mais é cobrado. Quem mais tem, mais sabe que os fins não justificam os meios. O tempo-juiz espera vc numa encruzilhada do caminho. Salvo por uma doença? A morte-justiça? A cura-doença? Justiça tarda e falha? Seja claro. Seja franco. Detox Cultural é bom mas não salva mau caráter, nem limpa trilhas sujas. Deus não é religião. Não há Detox pra alma. Quem for limpo, se limpe ainda mais. Quem for sujo, se suje ainda mais. Ninguém é perfeito, nem dono da verdade, nem há um Jesus bem certinho e na sua medida para o seu pensar, para o seu acomodamento,  sua máscara, seu disfarce, nem há um Deus com a sua cara e que compactue com o que só vc sabe contra vc. Vc, aliás, é a melhor testemunha de acusação contra vc mesmo, na hora agá, quando o bicho pegar, quando aparecerem seus podres e infrações, e vc for posto na balança e achado em falta... Quem haveria de dizer, hein? Teus rastros seguem, marcam,  retratam... pistas, evidências... Há um DEUS. Então tá explicado o mal explicado. Só podia ser assim. Não havia justificativa. Comparece veja, sinta. As aparências enganam mas ferem verdades. Compareçam ao tribunal do tempo-juiz. Vc sempre esteve presente no local de seus erros e acertos íntimos. E estragou tudo. Empesteou tudo. Vc é a melhor e pior defesa, e prova de acusação. Por que isso? Por que aquilo? Não deu sorte na vida? Destino? Maracutaias. Pense e se enxergue. E se entregue. E peça demissão. Vá, vende tudo o que tens e que amealhaste na improbidade e em desvãos da alma, depois, peça perdão, indenize os logrados, e então, vem, e segue com retidão uma religião, uma fé, uma missão, um propósito. Nunca é tarde. Ou a máscara já colou em sua pose, que mais do que um cidadão, um cargo, um diploma, uma riqueza impune, já és a própria máscara? Ainda haverá alguém que terá piedade de vc? A sua piscina está cheia de ratos, diz a balada... Detox não sara e nem cura aberrações. Ao final da jornada, todo mundo tem o que merece... Plantou, colheu. Pague pra ver.

 

 

-0-

 

Silas Corrêa Leite - Texto da Série “Fi-lo Porque Silas – Feridos Venceremos”, Autor de NÃO DEIXEM QUE TE TIREM A PRIMAVERA, Editora Clube de Autores

 

 


 


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Carta a um jovem escritor

Carta a um jovem escritor

Biblioterapia, a Terapia da Leitura, uma Livroterapia, artigo de Silas Correa Leite



Artigo/Opinião:

 

Biblioterapia, a Terapia da Leitura Que Cura Almas, Corações e Mentes

Livroterapia, Um Remédio Caseiro e Casual Que Escancara e Cura?

 

-Doutor, estou com graves problemas emocionais, de depressão a  falta de apetite, de baixa estima a obesidade mórbida, que remédio o sr me indica?

-Leia o livro tal. Você vai adorar. Vai fazer um bem enorme pra vc. Pratique esportes. Não beba, não fume. Viaje no livro.

-Doutor, pensei em me matar. Não fui uma boa filha. Só fiz coisas erradas. Más escolhas. Agora a idade me cobrando. Caiu a ficha. Preciso de tratamento.

-Vou indicar um remédio: esses livros aqui...  Leia-os. Volte a estudar. Se quiser, procure uma igreja, mas lembre-se que um bom livro é melhor do que farmácia, shopping, praia, afinal, vc não pode fugir do lugar que está, do lugar que vc é. Humorterapia tb ajuda. Mas no livro vc se encontra e viaja na maionese, na batatinha... Um ótimo livro é melhor do que Rivotril. Leia e se encontre. Ou se perca. O melhor animal de estimação é um livro. A melhor viagem é para dentro. Ler, amar, e se curar...

Psicólogo poeta? Vá vendo. Quero dizer, vá lendo. Terapia ocupacional: ler vários livros. E consultar especialistas, fazer tratamentos tb. Somando à terapia do perdão, terapia comunitária, estudar muito – fugir, fugir, fugir... nos livros – e fazer regime, se for carência, e nos cursos e viagens encontrar pessoas... Alma gêmea? Nem pensar. Algemas. Prenda-se a um bom livro e tb seja um livro com final feliz. Ler é o melhor remédio. O melhor energético. Livroterapia...

-Dr, preciso de um ansiolítico, uma cura logo, emergencial. Exames. Consultas. Chapas. -Leia esses livros todos, a bula como bibliografia. O laudo é: quem lê, abre a alma, a mente, o coração. Quem não trabalha não se valoriza. Quem não estuda não muda, não sai do lugar. Consumismo é doença. Internet o tempo todo e escrevendo errado é atestado de ignorância virtual. O preço da ignorância é a eterna dependência do achismo, da mesmice. Não seja um coxinha. Vá abrir um livro.

-Dr, como muito. Dr, choro muito. Dr, tenho pesadelos. Dr, preciso de alguém ao meu lado. -Muito bem, paciente, vou indicar medicamentos e... LIVROS. Vá caçar um livro. Vá ler outras vidas. Não foi fácil para ninguém. Seja mais do que um ninguém, seja alguém. Ler é um tratamento eterno... Seja vc tb um livro aberto sobre si mesmo...

Viajar, comer, amar, estudar, ler, brincar de ser feliz. Mágoa atrai câncer. Frustração atrai pesadelo. Ódio não leva a nada, a não ser a doenças. Saia de si, num livro. No livro vc vai sacar que pessoas (heróis, personagens, bruxos, fadas, anjos, monstros, Peter Pan, Sininho, Gepeto, Cinderela, Mil e Uma Vidas) pessoas que sofreram mil vezes mais do vc, e mesmo assim venceram e foram felizes. Resiliência? E vc aí se achando. Perca-se nas páginas de um livro. Seja tb sua vida-livro com um final feliz que vc escreveu apesar de tudo. Frequente bibliotecas. Ler um livro faz bem pra pele. Seja o seu livro uma praia, uma viagem, uma cabana, não cem anos de solidão. Não gosta de ler? Tem tratamento. Não gosta de estudar? Tem cura. É difícil mas tem. Livros difíceis? Pois é, livros fáceis e vc fica “facinha”, de lograr, de aceitar mentiras, de acreditar em lorotas... já pensou que lugar ao sol é o seu futuro, se vc se esconde atrás de uma máscara, fingindo que foi o que não foi, que é o que não é? Nem ler, nada a ver. Nada a ser. Leia e seja. Um médico não é Deus. Uma igreja certinha não existe, vc não é certinha e nenhuma religião pode adestrar vc, a não ser que vc seja quadrúpede.  E depois, lembre-se: a solidão é a melhor amiga da alma. E um livraço é a melhor companhia. Poesia é bom pra memória, pro espírito, para neuras, remorsos, sequelas. Deus ama quem lê com alegria. Na casa do Pai há muitas bibliotecas... Já pensou que demais? Seja um bom livro, seu super-herói preferido. Leia e apareça. Quem não lê, sabendo ler, é um inocente inútil, um ignorante perfeitinho para um sistema que banaliza o amor, a caridade, a evolução. Leia e evolua. Ou fique aí parado, esperando a banda passar, e vc atrás da banda de falsos contentes desafinando a sua vida em escala errada. Lucros, perdas. Quem lê vale mais. Vale quando seja. Conteúdo. As aparências deformam o caráter. Quer escolher alguém para ser feliz, seja feliz antes. Se ele tem mais livros do que beleza, ame-o, e deixe-o amar. Cresça e apareça ao lado dele. Se ela tem mais cursos e diplomas do que sapatos e caixas de maquiagens, e adora trabalhar e estudar, vai ser a musa ideal, a esposa ideal, vc vai crescer com ela, ser feliz, ficar rico com as mãos limpas, nas alegrias e nas vitórias. É sim, possível ser feliz sozinho. Se vc está em boa companhia, quando está sozinha com um livro na mão, vc tem o que oferecer a um outro ser. Um celular sem crédito, e vc pouco ligando. Vai reler aquele clássico famoso. Vai se reaprender. Vc vê as fotos de vc menininha, de sua mãe gestora, de sua vida evolutiva, e sempre está com um jornal, uma revista, um livro na mão, ou desenhando, lendo, estudando, e olha-se: venceu por seus próprios méritos de muitas leituras, estudos, cursos, diplomas, conquistas, vitórias. Sua vida um final feliz. Quem não lê muito não se ama nada. Alme-se: LEIA. Quem não estuda sempre vai morrer sem ter uma vitória de garra para contar como referência. Quem quer um livro de um mané, um asnoia, um zé ninguém, se a mesmice e a verdadeira autoajuda é a ajuda mutua, o esforço, o sacrifício, o além de si, a determinação, a transparência, e assim então uma verdadeira alta ajuda. Que exemplo vc é para sua família, ou vc é mais um, ou para vc tanto faz como tanto fez, não significa nada sendo o que é?

Leia a vida-livro do autor. Leia a história do personagem admirável.  Vc nasceu, seu nome foi escrito no livro da vida. Vc casou, ganhou uma pg de livro de oficio, num cartório. Vc lê a bula que é a pg de um remédio, a química, a biologia, a homeopatia. O laudo foi negativo e está ali mais uma página de sua vida limpa. Seus diplomas, suas escrituras. Quando vc morrer, escreverão seu nome num livro. Aqui jaz ou “aqui jazz”? Dance conforme a música do livro. Ora, se tudo se enlivra de vc, e vc lendo se livra de tanta coisa ruim, quando morrer, seu nome sendo escrito no livro do céu, pq vc não lê então, se tudo retrata vc? Quando Deus escreveu vc, Ele estava virando pra lua, ou vc aceita a escuridão da ignorância e da rotina, e tem um medíocre repertorio de palavras, escreve errado, querendo palpitar sem saber... Leia e aumente o volume do seu cérebro... Morrer sem ter lido os mil melhores livros de todo mundo, vai fazer de vc uma ameba com godê. Bonitinha mas tapada. Grã-fina mas ruim de diálogo. Saber ler mas não lê, acaba uma ignorante política daquelas. Já pensou, seu cérebro um receptáculo de tudo que faz de vc ser pequena, a fofoca, a vizinha topeira, a amiga burralda, a parente analfabeta, quando estudar vai abrir sua concepção, e ler vai fazer vc medir informações, escrever melhor, saber usar o verbo viver em toda esplendência?

Biblioterapia. Livroterapia. Eis a fórmula secreta.  Dieta da lua? Dieta da USP. Cursos, diplomas. Rato de sebos. Dieta do Livro. Leia e emagreça. Pedale seu livro. Plante um livro em seu canteiro neural. Resuma o livro, copie o livro, critique, escreva ao autor, à editora. Indique o livro. Coma o livro, beba o livro, respire os livros. Empreste o livro. Seja freguesa da biblioteca ou da livraria de seu bairro. Gaste dez por cento do seu salário com livros, cds, dvds. Tenha a sua própria coleção na biblioteca em casa, feito um pedaço de um infinito particular. Sentiu firmeza? O céu pode ser uma grande biblioteca do Criador, um paraíso de livros. Vai repetir de vida, ou vai repetir de livros? Onde a sua vida-livro se encaixa da biblioteca da natureza? Ou vc é um caso perdido, um pé no sacro, um final infeliz, uma pobre e analfa e reaça alma perdida a vagar nessa dimensão cósmica numa travessia da Via Láctea? Olhe para o céu que há no livro, e se livre do inferno que as suas escolhas obscuras fizeram de vc uma refém do ostracismo.

Será que o seu login depois da morte é o nome de um livro clássico, e a senha, no portal do infinito, é um guardião alado dizendo: -Evolução ou retrocesso? -Quantos livros vc leu, camarada? Se leu pouco, voltará dependurada num cipó de Darwin, com seu DNA corrompido, a placa mãe retardada. Se leu muito, um lugar melhor será o seu futuro e dirão, que vc mesmo teve um belo romance de vida, que escreveu com seu suor, suas lágrimas, seu sangue, e também, claro, com seus cursos, diplomas, e livros que inspirou, leu escreveu e foi de alguma forma capa e espada tb. Mas não acredite em verdades perfeitas, nem tenha aquela velha opinião formada sobre tudo. Critique tudo. Com sabedoria curricular e cultural. Mas com base. Nunca questione escrevendo errado ou sem pesquisar antes. O selfie pode esperar. Vidinha medíocre, paz burra. Só idiotas não têm inimigos. É mais cômodo e seguro ser um mané, uma perua, né não? Ser burro não dói nada. Aprender dignifica a fé, a obra, o ser. O que vc pensa, cisma, pensa, exprime, escreve, diz mais de vc do que vc acha que diz ou é. Não compartilhe bobices, fascismos, neuras sublimadas, resignações de panelas. Leia-se e seja-se. Fuja num mapa do livro. Solte as amarras. Use a imaginação. No reino da fantasia há muitas jornadas espirituais. Pague pra ver, pra ler, pra ser, crescer e aparecer... Quem lê vale mais. Quem lê poesia vale muito mais. Ler e criar, é só começar. Ler e curar-se, é só continuar a ler muito e bem...

“É comum confundir Biblioterapia com ler livros de autoajuda. Alguns títulos de autoajuda são úteis e podem ser aplicados junto com o tratamento”, diz Rodrigo Leite, (Coordenador do Ambulatório Geral do Instituto de Psiquiatria da USP, a Biblioterapia)

Ou vc quer ser uma merreca de um cerebrozinho de carruagem de abóbora selvagem, com inúteis e bobos mil tons de cinza de anões de jardins cheio de coliformes fecais de abutres? Vire a página. Seja freguês de uma estante cheia. Mande ver. Mande LER. A melhor pedagogia é o exemplo. A maior e melhor lição é não ser tapado e nem metido a cult ou artista de embustes, sem ser sequer ser um eterno aprendiz da alma humana. Livro ensina. Aprenda.

Quando eu morrer eu quero ser LIVRO.

-0-

PS: Livros viram ‘remédios’ para paciente psiquiátrico. Fobias, ansiedade, bulimia e depressão podem ser tratadas através da leitura. Histórias são indicadas pelos médicos. Ler pode ser um importante aliado em tratamentos psiquiátricos. É o que apostam especialistas da Biblioterapia. No Reino Unido o método ganhou apoio do governo por meio de parceria entre médicos e bibliotecas públicas, que transformaram-se em verdadeiras farmácias culturais: os livros são ‘prescritos’ em receitas e emprestados ao paciente. Jornal O Dia – Inglaterra.

Escreveu:

Silas Corrêa Leite, Livre pensador humanista, blogueiro e ciberpoeta premiado.

Autor de vários livros, premiado em diversos concursos, constando mais de 800 links de sites e em mais de cem antologias literárias de renome em verso e prosa, até no exterior. Contatos para palestras, congressos, debates, entrevistas, críticas, torpedos, etc. E-mail:


Último Romance no Site da Folha de São Paulo:


Livros a venda no site: WWW.livrariacultura.com.br

OU no: WWW.clubedeautores.com.br

 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Silas Corrêa Leite, Ficha Técnica e Ideia Futural de Epitáfio




Ficha Técnica – Silas Corrêa Leite

Da Série “Silas e suas “siladas”

Signo: Leão-Dragão (Leão com ascendente em Libra e Lua e Sol em Leão)

Santo de Devoção: São Corinthians do Itaquerão (Tá na Bíblia, Corinthians Cinco Versículo Zero)

Flor: Flor de Feijão-jalo

Fruta: Cerveja Stella

Trilha: Meu coração com arritmia

Filme: O Pagador de Promessas

Carro: De rolimãs

Leituras:

1.Biblia, Vários Autores

2.Cem Anos de Solidão, Gabriel Garcia Marquez

3.Dom Quixote, Miguel de Cervantes

4. Crime e Castigo, de Fiódor Dostoievsky

5. Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust

6.A Metamorfose, Franks Kafka

7.Ulisses, James Joyce

8.Guerra e Paz, Leon Tolstói

9.Divina Comédia, Dante  Alighieri

10.A Ilíada e a Odisseia, Homero

E ainda Érico Verissimo, Guimarães Rosa, Machado de Assis, Graciliano Ramos, Clarice Lispector, Drummond, Hilda Hist, Neruda, Borges, Pessoa, Maiakovski, Whitman, Silvia Plath, Marina Tsvetáieva e Anna Akhmátova.

Época da História em que gostaria de ter vivido: Eu não gostaria de ter existido, se soubesse que iria morrer...

Lata de Lixo: 1964 e a Canalha de 64 do Brasil S/A made in Samparaguai, o estado-máfia

Herói Cultural: Peter Pan

Frase ideal: “Meu reino não é desse mundo”

Minha Luz e minha Cruz: Poesia

Meu pior defeito: Determinação como um coice

Meu maior castigo: Sobreviver como uma trufa

Minha qualidade especial: Osso duro de ruir

Minha maior alegria: Minha Mãe Eugênia

Minha pior tragédia: Enxergar no escuro

Pensamento: quando eu morrer, se estiver finalmente perante Deus, e então poder perguntar: Por quê?

Epitáfio: Silas Corrêa Leite

“Aqui “jazz”, Si... lás, três notas musicais (um acorde), exercitando o último solo. Existiu feito um condenado, sobreviveu feito um E.T., leu igual um casulo seco pondo as tripas pra fora, estudou feito uma foice em campo de lavanda, e reverberou escrevendo feito um apagador de incêndios num cardume de subterrâneos. Só a morte o salvou. Nasceu analfabeto como um pesadelo, viveu estudando feito um solário, e morreu aprendiz como um átomo na vírgula. Silascô.

-0-

Depoimento a CULT-NEWS – la-goeldi@bol.com.br

 

 

 

domingo, 8 de novembro de 2015

Silas Correa Leite, Um Louco Que é Uma Fábrica de Livros




 

Um Louco Que é Uma Fábrica de Livros

Silas Corrêa Leite, “Neomaldito da Web” Lança Vinte Livros, e Pretende Lançar Um Para Cada Ano de sua Vida, Escrevendo Vários Livros Ao Mesmo Tempo, Feito Um Louco Condenado a Existir, Pior, Muito Pior, Condenado a SOBREVIVER...

 

-Com oito anos, aluno pobre “da Caixa” do Grupo Escolar Tomé Teixeira, de Itararé-SP, Silas Corrêa Leite, precoce, foi descoberto fazendo poemetos pueris pela primeira professora que o alfabetizou, Jocelina Stachoviach de Oliveira, quando disse que queria ser Poeta quando crescesse. Terminando o curso primário, de origem humilde, parou os estudos e foi trabalhar de engraxate a boia-fria, de vendedor de dolé de groselha preta a garçom de bar e de aprendiz de marcenaria. Mesmo assim, com 16 anos escrevia para jornais, imitava ídolos da Jovem Guarda em shows prata da casa, e foi aprovado como locutor da Rádio Clube de Itararé, sempre escrevendo feito um louco, um sentidor. Migrou Para SP em 1970, morou em cortiço, pensão, dormiu na rua, só 12 anos depois voltou a estudar, formou-se, fez um monte de cursos, extensões, especializações, participou de concursos, ganhou prêmios de renome, inclusive na USP (Venceu o Primeiro Salão Nacional de Causos de Pescadores/USP/Parceiros do Tietê/Jornal O Estadão) e até no exterior, fez parte de mais de cem antologias literárias em verso e prosa de renome, até internacionais e mesmo na Fundação Biblioteca Nacional, Gestão Ivan Junqueira. Lançou livros, alguns finalistas do Prêmio Telecom Portugal, além de bolar twitter-poemas, microcontos loucos, também começou a fazer resenhas e criticas literárias de autores consagrados ou best-sellers, além de ensaios lítero-culturais, quando foi elogiado entre outros por Moacir Scliar e Carlos Nejar ambos da ABL-Academia Brasileira de Letras.

Escreveu ao longo desses anos todos, quase mil cadernos de rascunhos poéticos, 200 pgs cada (mesmo trabalhando das 7 da manhã até a meia-noite), cada caderno datado, com um nome, um título, como se fosse um livro, com capa de desenhos abstratos heráldicos que o escritor desenhou com recursos primários, lápis, carvão, giz de cera. Foram destaque no Metrópolis, TV Cultura, onde o escritor tachado de “Neomaldito da web” pelo site Capitu, também foi entrevistado no Programa Provocações, de Antonio Abujamra que declamou vários trabalhos dele, de microcontos estrambólicos e poemas para Tom Zé e Michael Jackson, textos loucos, polêmicos, diferenciados, acima da média. Estando hoje em mais de 800 links de sites, até na Argentina, Itália, Portugal, África (Angola, Moçambique) e mesmo no site do Pravda da Rússia, Silas pretende escrever um livro para cada ano de vida. Gasta em média três teclados por ano (as letras somem do computador.) Consegue escrever três romances ao mesmo tempo, enquanto também toca seus livros de microcontos, de poemas, tendo dois romances a venda no Amazon, Kindle.

Elogiado entre outros por Álvaro Alves de Faria, Ignácio Loyola Brandão, João Silvério Trevisan, Silas tem uma facilidade para escrever, criar, além de fazer humor como o link Silas e suas “siladas”, mais letras de rock, mpb e blues. Aposentado da Prefeitura de SP, readaptado por problemas nas cordas vocais – dava aulas em três escolas, particular, prefeitura e estado (Geografia, história, ética e filosofia) – trabalha ainda na biblioteca da EE Thomázia Montoro do governo do Estado de SP, onde ganhou o Prêmio Lygia Fagundes Telles, pelo CRE-Centro de Referencia em Educação Mario Covas. Premiado no  Mapa Cultural Paulista por Itararé-SP; prêmio Lygia Fagundes Telles Para Professor Escritor, Prêmio Ignácio Loyola Brandão de Contos, Prêmio Paulo Leminski de Contos, Prêmio Biblioteca Mario de Andrade/Gestão Marilena Chauí; Prêmio Literal de Contos/Fundação Petrobrás, Curadoria Heloisa Buarque de Hollanda; Prêmio Instituto Piaget (cancioneiro infantojuvenil) e Prêmio Simetria Ficções (microcontos), ambos em Portugal, entre outros, seu Estatuto de Poeta foi traduzido para o espanhol, inglês, francês e russo.

Autor entre outros de PORTA-LAPSOS, Poemas, Editora All-Print, Campo de Trigo Com Corvos, Contos Premiados, Editora Design, O Homem Que Virou Cerveja, Editora Primus, Prêmio Valdeck Almeida de Jesus, Goto, a Lenda do reino do Barqueiro Noturno do Rio Itararé, Romance, GUTE-GUE, Barriga Experimental de Repertorio, Editora Autografia, RJ, entre outros tantos, escreveu e lançou vinte livros e tem outros aguardando para lançar com contratos assinados, e ainda segue escrevendo, cérebro a mil, dando testemunho de seu tempo tenebroso, feito uma antena da época, para lembrar Rimbaud. Teve um romance sobre Jesus recusado por uma grande editora do RJ, teve um romance interativo recusado por uma grande editora de SP, onze contos fantásticos, cada ficção com três finais, um final feliz, um final de tragédia e um terceiro final politicamente incorreto, que acabou lançando como e-book pela HotBoook do RJ e foi um sucesso em downloads. Primeiro livro interativo do reino da web, foi tese de mestrado e tese de doutorado, recomendado como leitura obrigatória na matéria  Linguagem Virtual, no mestrado de Ciência da Linguagem na UNICSUL. Por ser pioneiro, primeiro e único no gênero, foi destaque na chamada grande imprensa, como Revista Época, Diário Popular e Estadão, inclusive televisiva.

Esse é o “neomaldito da web’, que espera logo contar  no Guiness Book pelos mil cadernos (de 200 pgs) e tb por estar em mil sites. Deverá ter logo mais um romance lançado pela Editora LetraSelvagem chamado Cavalos Selvagens, entre outros trabalhos que escreve simultaneamente, bem como um livro de ensaios sobre as mais de cem resenhas criticas que fez de autores brasileiros e estrangeiros, bem como aguarda com segredo sua obra numero um que, diz, é lançar num dia e ser morto no outro, contando os podres dos sórdidos bastidores da ditadura de inocente, a chamada canalha de 64, da qual ninguém é culpado, ninguém foi punido, tudo ficou por isso mesmo, o medo do comunismo criando monstros.

Procurando nome de Silas Corrêa Leite vc vai acha-lo em vários links, capas de livros, e mesmo em entrevistas no You Tube e mesmo em todas as redes sociais. Um poema seu constou no vestibular da VUNESP junto com Machado de Assis e Vinicius de Morais. Esse é Silas Corrêa Leite, 63 anos, a caminho de sessenta e três livros, e logo um para cada ano que viver. E depois que morrer – ele espera morrer com mais de 80 anos – seus cadernos e livros ainda continuarão a ser lançado por décadas. Quando indagado sobre o maior elogio que recebeu a vida inteira, o tempo todo, por diversas pessoas de varias áreas, foi “Silas, vc não existe”. Por isso ele, um zen-boêmico cervegetariano se considera a um E.T. na terra, que ele chama de “o aterro sanitário do espaço, onde estão depositados todos os vermes da Via Láctea".

Depoimento a Antonio Tito Gonçalves – CULT NEWS – Grupo leia Silas


 Contatos com o Escritor Silas Corrêa Leite ciberpoeta e blogueiro premiado: E-mail: poesilas@terra.com.br


Hino Nacional do Corinthians Brasileiro




Hino Nacional do Corinthians Brasileiro

 

 

Compositor: Poema: Joaquim Osório Duque Estrada / Música: Francisco Manoel da Silva - Fonte: Portal do Governo Brasileiro


Adaptação: Poeta Silas Correa Leite

 

 

Ouviram do Corinthians as margens plácidas

De um time heroico, o brado retumbante

E o solo da vitória, em time fúlgido

Brilhando altivo no campo todo instante.

Se o penhor dessa vontade

Conseguimos conquistar com raça e forte

Em teu céu, a eternidade

O Corinthiano desafia a própria morte!

Ó Timão amado

Idolatrado,

Salve! Salve!

Corinthians, um sonho intenso, um raio ungido

De amor e de esperança vence a porfia

Se em teu formoso brasão, solene e límpido

A imagem da Nação Fiel é alegria

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,

E o tua história espelha essa grandeza.

Timão adorado

Entre outros mil

És o melhor do Brasil

Ó Timão amado

Dos filhos deste solo és campeão gentil

Time mais amado

Do Brasil!

Gigante eternamente em berço esplêndido

Ao som do mar e à luz do céu profundo

Fulguras, ó Corinthians, Timão da América

Campeão de tudo até campeão do mundo

Do que a raça mais garrida

Teus guerreiros, em lindas conquistas têm mais valores

Nossos fiéis torcedores têm mais vida

E és nossa religião de tantos amores

Ó Timão amado

Idolatrado

Salve! Salve!

Corinthians de amor eterno seja símbolo

O brasão campeão que ostentas estrelado

E diga o preto e branco dessa flâmula

-Campeão no futuro e glória no passado.

Mas se ergues da injustiça a clava forte

Verás que um craque teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte

Timão adorado

Entre outros mil

És o melhor do Brasil,

Ó Time amado

Dos filhos deste solo és campeão gentil,

Time mais amado

Do Brasil!

-0-

Silas Corrêa Leite

Ciberpoeta e blogueiro premiado